Friday, June 24, 2011

Turning point

Conheço a lição de cor. Sei que leva tempo, demasiado tempo. Sei o que se deve e o que não se deve fazer.

Também sei que há precisa sempre de um turning point, de qualquer coisa que nos coloque a raiva acima de tudo, que nos impele a seguir em frente, que nos motive para que seja tudo bem melhor da próxima vez.

O tal turning point chegou ontem. É duro, muito duro, demasiado duro. Dá-me vontade de dormir os próximos meses à espera que passe. Mas isso não pode ser.

Tenho a dose certa de raiva para sobreviver. Só que o caminho até aí ainda é longo. Comecei hoje a pô-lo em prática.

PS: Não volto a tocar neste assunto aqui. Esse é o primeiro passo.

Wednesday, June 22, 2011

Tanto sobre a minha mãe

Às vezes é a maneira como coloca a mão em cima da mesa no meio de uma conversa acesa. Outras vezes é a quando me vejo ao espelho a sorrir, quase de perfil. De cada vez que as calças ou os vestidos me custam a passar na anca, lembro-me sempre da minha mãe.

Nós não somos a cara-chapada uma da outra. Mas há em mim tanto dela. Tanto.

É da minha mãe que me vem a força, a vontade, a capacidade de resposta. O teimar, sim eu também teimo em teimar. É aos mimos dela que vou buscar energia quando estou em baixo.

Foi com a minha mãe que aprendi que a palavra amor pode ter múltiplos significados. É nela que eu penso, quando penso que quero ser alguém.

E naqueles momentos em que quase desabo, lembro-me dos momentos em que ela quase desabou. E vejo o quanto ela é tão mais forte do que eu e o quanto eu quero ser assim. Um dia, quando for grande.

Monday, June 20, 2011

Pode um dia o mundo acabar

Penso nisto muitas vezes. Demasiadas vezes. Na curta distância que nos separa entre a tranquilidade dos nossos mundos imperfeitos e o fim deles.

Sim, eu sei, um dia tudo chega a um fim. Mas assusta-me essa ideia do fim. Do fim do meu mundo.

É por isso que vivo numa enorme correria, que tento aproveitar todos os minutos do meu dia. É por isso que não me canso de beijar os que amo, que ainda não desisti de dizer a todas as pessoas o quanto gosto delas.

É por isso que corro. Todos os dias.

Saturday, June 18, 2011

Ao estilo dos Santos Populares



A noite é sempre de confusão. Não vale a pena ir demasiado arranjada nem estrear roupa nova, já que o risco é ficar a cheirar a sardinha "vestida" de sardinha. Mas também não é preciso ir de fato-de-treino.
Este ano, pela segunda vez, lá "despi" os saltos altos e andei a "navegar" pelos bairros típicos de Lisboa.

Calças e camisola: GAP
Casaco: oferecido pela mamã
Sapatos: melissa
Brincos: feitos à mão, comprados numa viagem ao México

Saturday, June 11, 2011

Às vezes ter tempo dá nisto...

estou a ver na net packs de massagens para perder celulite. há uma hora!

Tuesday, June 07, 2011